Cuidados, Dicas e Notícias
USP pesquisa distrofia muscular na raça golden retriever (01/12/2010)
No canil da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da USP, cães da raça golden retriever vêm sendo utilizados em estudos sobre distrofia muscular. Pesquisadores observam o comportamento dos animais e a evolução da doença, testam técnicas para melhorar a qualidade de vida deles e ainda pesquisam caminhos para que a cura do mal seja descoberta. O canil da FMVZ existe há oito anos e lá alguns dos cães são vítimas de distrofia muscular, doença genética que, entre outros efeitos, prejudica o desempenho dos músculos do organismo. Os indivíduos vitimados pela doença têm dificuldade de movimentos e deglutição, entre outras alterações. O Brasil, portanto, é um dos três únicos países do mundo detentores deste modelo animal (França e EUA são os outros). A professora Maria Angélica Miglino, responsável pelo canil, conta que entre os frutos acadêmicos do local estão uma pesquisa que identificou diferentes fenótipos (manifestações externas corpóreas) entre os animais afetados pela doença, e outra – de uma ex-mestranda, que desenvolveu um método para facilitar a alimentação dos cães. É na observação do comportamento dos animais e na evolução da doença que se concentram os estudos realizados no espaço. Na rotina do canil, de acordo com Maria Angélica, são incluídas atividades que se configuram como “um curso de veterinária à parte”. Ela se refere às ações corriqueiras que devem ser feitas para que os animais tenham uma boa qualidade de vida (que por serem portadores de uma doença agressiva demandam cuidados específicos como a entrega de alimentos diretamente na boca). Outra questão relatada pela professora é a dificuldade de respiração desses animais, o que faz com que os veterinários e estudantes responsáveis acabem se encarregando também de prestar socorro em emergências. A responsável pelo local explica ainda que todo esse contexto faz com que o canil, além de um bom gerador de estudos, acabe sendo um ótimo espaço para a formação de recursos humanos, com novos pesquisadores e professores adquirindo conhecimento diferenciado. A DOENÇA Distrofia muscular é um termo amplo utilizado para se referir a um grupo de doenças genéticas que afetam a musculatura e causam fraqueza. A intensidade da fraqueza pode variar de acordo com o tipo de distrofia, bem como o grupo muscular afetado e a velocidade de degeneração. A distrofia muscular de Duchenne é forma mais comum dentre as variedades da doença. A distrofia muscular é causada pela ausência (ou ineficiência) de uma proteína chamada distrofina. A substância é responsável, em conjunto com outras, pelo bom funcionamento das fibras musculares. A ciência ainda não obteve uma cura para a doença. Terapias gênicas ou celulares, como a inserção de células-tronco, são possibilidades que se sugerem como uma solução, mas ainda estão em fase inicial.
Assine nossa Newsletter
Mapa do Site